Duro castigo aplicado a Semedo e ao seu Director Desportivo

O CD-Conselho de Disciplina da Liga Moçambicana de Futebol decidiu aplicar os castigos de 45 dias de suspensão a Alexandre Rosa e um jogo de proibição a para Artur Semedo, Director Desportivo e treinador do GDM-Grupo Desportivo Maputo respectivamente.

Por detrás desta decisão estão as sempre polémicas declarações do técnico Artur Semedo, momentos após o jogo que envolveu a sua formação e a da LDM-Liga Desportiva de Maputo, havido no campo da segunda equipa, referente à 15.ª jornada do Moçambola2019.

Na ocasião, Artur Semedo acusou os dirigentes da LMF-Liga Moçambicana de Futebol de trabalharem em conluio com os gestores da LDM para prejudicarem os superiores interesses do Desportivo de Maputo. O técnico teve presente o caso da indicação do campo da LDM para a realização do referido jogo pertencente ao clube alvinegro.

Naquela tarde de 11 de Agosto, Semedo disse, de viva voz, que nem ele, nem o seu clube pediram a realização deste jogo no campo da Matola C, alegando ter havido imposição por parte da LMF em conivência com os gestores da LDM.

De resto, uma mentira monumental que veio a ser desmentida quando veio a público a troca de correspondência entre a direcção do GDM e da LDM, com a primeira equipa a solicitar o campo para a realização do referido jogo.

Adiante, as duas colectividades de forma separada endereçaram um ofício à LMF não só a solicitarem a indicação do recinto, como também a fazerem referência ao acordo a que chegaram.

Com efeito, Artur Semedo apanhou um jogo de suspensão, a ser cumprido na tarde desta sexta-feira, 04 de Outubro, para o encontro da jornada 23 diante do Desportivo de Nacala. Outrossim, o técnico foi penalizado com uma multa de 55 mil meticais.

Alexandre Rosa castigado por acobardar-se

Por sua vez, o Director Desportivo do GDM, Alexandre Rosa apanhou 45 dias de suspensão e ao pagamento de uma multa de 25 mil meticais, ainda relacionado com as declarações de Semedo.

Foto: O País

No entanto, este gestor desportivo apanhou a medida mais gravosa por não ter comparecido à sede da LMF para prestar declarações e provar, em sede do CD, que tudo o que Artur Semedo disse era uma verdade absoluta.

Rosa nem sequer justificou a não ida àquele órgão autónomo, sobretudo por se tratar do representante do GDM que negociou directamente o acordo com a LDM para a cedência do campo.

Categorias:Início, Moçambola2019

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s