Onda Vermelha exige renúncia imediata de Simango

Ninguém conseguiu disfarçar a desilusão pela eliminação dos “Mambas” no acesso ao CHAN. Os mais ousados procuram a imprensa para exibir o seu desagrado pelo resultado. Entre eles, sobretudo membros da claque Onda Vermelha, há os que exigiram que Alberto Simango Júnior renuncie imediatamente ao cargo de presidente da federação.

A Polícia da República de Moçambique, sobretudo a da secção canina, chegou a ser solicitada no Estádio Nacional do Zimpeto para garantir a segurança do presidente da FMF-Federação Moçambicana de Futebol, Alberto Simango Júnior, face aos protestos de alguns adeptos depois da queda, mais uma, dos “Mambas” no caminho para as provas continentais.

Conforme justificaram os protestantes, que são moçambicanos e, por isso, naturalmente adeptos dos “Mambas“, Alberto Simango Júnior é simultaneamente presidente da FMF e responsável máximo por uma estrutura que arruina o futebol nacional. Uma organização, enfim, que insiste em manter a selecção nacional no cativeiro da densora. Da vergonha como essa testemunhada no Zimpeto ou em Bissau. Isto por um lado.

Por outro, houve quem defendeu a renúncia imediata de Alberto Simango Júnior com a alegação de que a selecção nacional é apenas e, tão só, o rosto visível de um projecto de dirigismo desportivo muito mal concebido, por isso falhado na forma, teimosamente manuseado a partir do seu gabinete na avenida Agostinho Neto, na capital do País.

Outros, ainda, consideraram que a saída imediata de Simango, após a eliminação de Moçambique pelo Madagáscar, ajudaria a reanimar não só o futebol nacional no seu todo, mas uma selecção que com ele sempre viveu um estado profundo de coma. Isto dito pelos adeptos, obviamente.

Houve, adiante, alguns exagerados que acusaram o presidente da FMF de estar directamente ligado aos desaires dos “Mambas“, não só porque nunca soube escolher selecionadores competentes, mas porque ele próprio é uma alta fonte de energias negativas associadas ao azar que teimosamente persegue a selecção.

Enfim. Um mar de argumentos que constrõem uma muito bem conhecida narrativa que coloca agora Alberto Simango Júnior como actor primário.

Para todos os efeitos, a eliminação dos “Mambas” pelo Madagáscar fez com que um determinado sector da Onda Vermelha rebentasse os cimentos e expressasse o rompimento de uma relação que era até aqui formidável com a estrutura gestora da Federação Moçambicana de Futebol de Futebol.

Os dias que se seguem prometem ser longos.

Categorias:Início, Mambas

2 replies

  1. É importante ver que em Moçambique á um problema estrutural no desporto em geral eu já fui representar a seleção de Moçambique e recebi como poket moning 100 dólares o que é 100 dólares , que motivação vou ter com 100 dólares , atletas vão de chapa no aeroporto , não tem estágio , não tem jogos de controle , não tem auto estima não se faz nada neste país .

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s